#OpiniãoOver: Globo estréia "Dois Irmãos" com aula de cinema e fotografia para a TV
  • RSS feed
  • Twitter
  • Facebook
  • Google+
  • Vimeo
 

#OpiniãoOver: Globo estréia “Dois Irmãos” com aula de cinema e fotografia para a TV

Sempre com aquele leve preconceito de que teremos (de novo) uma série popularesca com cara de novela para buscar audiência, arrisquei assistir ao primeiro capítulo da minissérie de dez capítulos, “Dois Irmãos“, tão anunciada pela Globo. Me dei esta chance, pois no meio do ano passado, a série “Justiça”, também apresentada pelo canal, foi de cair o queixo. Talvez a melhor já produzida no Brasil.

Este primeiro episódio de “Dois Irmãos” surpreendeu de cara pelo tratamento de imagem escolhido; e os encaixes de luz, sombra, e angulação, no quesito de fotografia. Parece que estamos assistindo a um romance literário em forma de poesia cinematográfica. É tudo visualmente encantador e de brilhar os olhos do espectador. A história gira fragmentada entre três arcos temporais, retratando o surgimento e desenvolvimento da rivalidade entre dois irmãos gêmeos, numa comunidade libanesa, na úmida e chuvosa Manaus.

A minissérie dirigida por Luiz Fernando Carvalho, baseada no romance homônimo do descendente de libaneses, Milton Hatoum, conta com os atores Cauã Reymond (no papel dos irmãos), Juliana Paes, Antonio Calloni, Antônio Fagundes, entre outros, e traz (pelo menos neste primeiro episódio) uma boa parte dos diálogos em árabe (o que nos faz ter que prestar atenção às imagens e com elas nos maravilharmos). É de cinema. Justo. Já que cada vez mais o cinema vem migrando para dentro de nossas salas nas “Smart TVs”. O texto da narrativa, por vezes também traz a poesia, fazendo com que o espectador tenha que pensar e sentir. E afinal, não é melhor assim do que tudo sempre mastigado?

Basta saber se o roteiro, com o desenrolar da série, continuará surpreendendo, ou se cairemos no velho padrão da emissora, de começar uma primeira fase encantadora, e depois cair o nível de produção e roteiro para algo mais “aceitável”, num Brasil que carece de educação. Ainda bem que só tem dez capítulos. Como já disse em outros posts, quando eu era pequeno, a Globo tinha também o papel de precurssora e educadora. Em algum momento comercial, este cuidado se perdeu. Mas o Brasil está mudando. E nós, a imprensa, os educadores, o povo e os formadores de opinião também. Por enquanto, “Dois Irmãos” tem o meu mais sincero aplauso.

Comments

comments

 

About Rodrigo Pulga Joe

Cantor, compositor, entertainer e diretor de arte. Um devorador de filmes, séries, shows, músicas e baladas. Ah! Desce mais uma dose de cultura pop, please! Álbuns - Pulga Joe: www.youtube.com/pulgajoe View all posts by Rodrigo Pulga Joe
 

CONTEÚDO EXCLUSIVO PARA OVERDRIVERS NO FACEBOOK

publicidade