#OpiniãoOver: Série 'Punho de Ferro" do Netflix começa bem, mas emperra em roteiro e atuação
  • RSS feed
  • Twitter
  • Facebook
  • Google+
  • Vimeo
 

#OpiniãoOver: Série ‘Punho de Ferro” do Netflix começa bem, mas emperra em roteiro e atuação

A série “Punho de Ferro”, que completa o arco dos heróis que farão parte de “Defensores”, da Marvel, no Netflix, assim como “Luke Cage” (outra série do mesmo arco), inicia com um roteiro que prende o espectador de forma empolgante, porém, a partir do meio da temporada, despenca com a banalização de alguns personagens e um roteiro de diálogos que acaba por soar infantil.

“Punho de Ferro” conta a história de Danny Rand, que quando criança sofre um acidente de avião com seus pais, no qual supostamente todos morrem. Vinte anos após o desastre, Danny reaparece em Nova York alegando ser um dos herdeiros da multibilionária empresa “Rand”, que atualmente é dirigida pelos seus melhores amigos de infãncia, os irmãos Ward e Joy Meachum, filhos do também falecido, ex-sócio de seu pai, Harold Meachum (um dos vilões da série).

Segundo Danny, logo após o acidente, ele foi resgatado por um grupo de monges da inencontrável terra de Kun Lun, e após anos de treinamento em artes marciais, recebeu os poderes do “Punho de Ferro”. Os poderes que lhe foram conferidos fazem com que seu punho se energize através de seu “chi”, e tragam em sua “porrada”, uma força energética gigantesca. O “Punho de Ferro” também tem a missão de proteger sua terra dos inimigos da organização “Tentáculo” (já vista na série “Demolidor”, também da Netflix, que irá também fazer parte do arco geral da futura série “Defensores”).

Danny, que tem um jeitão carismático e “hippie” (que é sensacional), tem como parceira, a “Filha do Dragão”, uma nova amiga oriental e professora de artes marciais, que lhe acolheu na sua volta para Nova York. Esta dupla forma os momentos de luta e romance que são o ponto alto da série, juntamente com as elogiadas presenças da velhinha do demônio, Madame Gao (vista também em “Demolidor”) e Batuko, dois membros do “Tentáculo”.

O que mais me incomodou, e que fez com que minha #OpiniãoOver fosse negativa, foi a forçada de barra na presença da personagem da enfermeira Claire, que está em todas as séries que formarão o arco de “Defensores” (“Demolidor”, “Jessica Jones”, “Luke Cage” e por fim “Punho de Ferro”). Aqui, ela deixa de ser apenas uma funcionária da saúde, e passa a lutar como se tivesse treinado a vida inteira, contra inimigos que estudaram artes marciais desde criança. Ou seja, é impossível! Há também alguns momentos em que o trio, Danny, “Filha do Dragão” e Claire tem diálogos que chegam a ser tão infantis como a mini novela “Malhação”. A partir destes momentos passei a ver a série com outros olhos, e de verdade, ficou brochante, só que como amei “Demolidor” (duas temporadas) e “Jessica Jones”, tive que terminar para poder juntar o roteiro dos quatro heróis, e me preparar para “Defensores”. No final, fiquei #xatiado. Rsrsrsrs…

Abaixo o trailer:

Comments

comments

 

About Rodrigo Pulga Joe

Cantor, compositor, entertainer e diretor de arte. Um devorador de filmes, séries, shows, músicas e baladas. Ah! Desce mais uma dose de cultura pop, please! Álbuns - Pulga Joe: www.youtube.com/pulgajoe View all posts by Rodrigo Pulga Joe
 

CONTEÚDO EXCLUSIVO PARA OVERDRIVERS NO FACEBOOK

publicidade