#OverDicas: "11.22.63"- Obra de Stephen King sobre viagem no tempo, vira ótima minissérie produzida por J.J. Abrams de "LOST"
  • RSS feed
  • Twitter
  • Facebook
  • Google+
  • Vimeo
 

#OverDicas: “11.22.63”- Obra de Stephen King sobre viagem no tempo, vira ótima minissérie produzida por J.J. Abrams de “LOST”

Durante os 8 capítulos da minissérie “11.22.63”, lançada esta semana pelo canal AMC, ficamos com a sensação de realmente estar lendo a um bom livro. Adaptada da obra “Novembro de 63”, de Stephen King, a série, estrelada por James Franco e produzida por ninguém menos que J.J. Abrams, de “LOST”, prende o espectador do início ao fim. Só de já ver os nomes destas três feras, juntas, a gente já chega a ter calafrios de expectativa.

Em “11.22.63”, o personagem de James Franco (Jake Epping) tem que voltar no tempo através de um “buraco de coelho” (um sentido figurado para descrever um portal) para impedir o assassinato do então presidente dos EUA , John F. Kennedy, pelo atirador e ex-fuzileiro naval Lee Harvey Oswald. Só que este portal leva o nosso personagem sempre para o mesmo local e sempre na mesma data, três anos antes do ocorrido. As regras do que pode ou não acontecer durante esta viagem, as informações de como, quando e quantas vezes ela pode ser feita, e a forma como ela interfere no nosso “tempo” atual, preferimos não contar para não trazer “spoilers”.

É muito difícil, depois de tantos filmes e séries já feitas sobre viagem no tempo, que qualquer um tenha a impressão do “já vi isto em algum lugar”. J.J. Abrams chegou a comentar sobre a preocupação de traduzir todo este roteiro para as telas de uma forma singela e original. Conseguiu. Talvez o filme que mais se assemelhe à estética de “11.22.63” seja “Peggy Sue – Seu Passado a Espera”, de 1987, pois a viagem no tempo retorna para aquela mesma época dos carros rabo de peixe e meninas com vestidos longos e fitas na cabeça. Nos tempos da brilhantina mesmo. Há um clima romântico e de suspense “noir” na série. Há um momento “chave” em que este romance realmente vai emocionar o espectador. Para quem já leu a livros de Stephen King e tem uma certa familiaridade com a narrativa, perceberá logo nos primeiros episódios, que se trata de uma obra assinada pelo autor. É como se estivéssemos lendo a um livro de suspense, escrito com aquela assinatura oitentista de Stephen, porém sob uma visão e dinâmica de “LOST”. Muito louco.

Agora, o que aconteceria com o mundo se alguém impedisse ou não o assassinato de Kennedy, você só vai saber assistindo. Bom divertimento!

Comments

comments

 

About Rodrigo Pulga Joe

Cantor, compositor, entertainer e diretor de arte. Um devorador de filmes, séries, shows, músicas e baladas. Ah! Desce mais uma dose de cultura pop, please! Álbuns - Pulga Joe: www.youtube.com/pulgajoe View all posts by Rodrigo Pulga Joe
 

CONTEÚDO EXCLUSIVO PARA OVERDRIVERS NO FACEBOOK

publicidade